Sábado, 06 de Junho de 2020

(49) 9 9823-4044

No Ar
Sabadão da 98
Publicidade Lateral
Estatísticas
Visitas: 229095 Usuários Online: 2


Esportes

Publicada em 20/03/20 às 14:57h - 18 visualizações
Paralisações e até morte: como a gripe espanhola afetou o futebol brasileiro há 102 anos

Globo Esporte


 (Foto: Baú do Esporte)

Em 1918, o Brasil também viveu um cenário de caos por causa de uma pandemia. Pelo que foi descrito nos jornais da época, na realidade, era um cenário de filme de terror. Acometidos pela gripe espanhola que matou cerca de 50 milhões de pessoas no mundo, corpos ficaram espalhados pelo chão. Faltavam caixões e até coveiros. A polícia saía pelas ruas escolhendo pessoas com aparência física mais forte para cavar valas coletivas. O futebol, como em 2020, não passou ileso.

Em tempos de I Guerra Mundial (1914-1918), aponta-se que o vírus começou a se espalhar pelos Estados Unidos e, rapidamente, ganhou o mundo. A Espanha, que se manteve neutra durante o combate, foi um dos primeiros países a noticiar os casos com independência. Por isso, a gripe recebeu esse nome.

No Brasil, o cenário se alastrou com força após o navio Demerara, vindo da Europa, deixar passageiros em diferentes cidades do país infectados pelo vírus influenza. Muitos não sabiam que estavam doentes e ajudaram a propagar a pandemia. Inclusive, o presidente eleito do país Rodrigues Alves faleceu por conta do grave problema.


O Campeonato Carioca de 1918 transcorreu normalmente até o dia 13 de outubro. Nessa data, o Carioca bateu o Andaraí por 5 a 3, na Estrada Dona Castorina. A essa altura, no entanto, o avanço da gripe espanhola já afetava o futebol no estado, e essa foi a única partida disputada no mês.




ATENÇÃO:Os comentários postados abaixo representam a opinião do leitor e não necessariamente do nosso site. Toda responsabilidade das mensagens é do autor da postagem.

Deixe seu comentário!

Nome
Email
Comentário


Insira os caracteres no campo abaixo:


Copyright (c) 2020 - Som das Águas FM - Todos os direitos reservados